História

O Ber√ßo em Belém.

Na virada do século XX, surge em v√°rias partes do mundo e nos Estados Unidos o movimento denominado pentecostal, que difundia uma renova√ß√£o dos moldes pregados pelas igrejas radicionais por meio do batismo com o Esp√≠rito Santo.

Contagiados por esta doutrina, dois jovens mission√°rios suecos residentes nos Estados Unidos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, receberam como miss√£o pregar o evangelho em uma terra distante e desconhecida, chamada Par√°.

Foi ent√£o que partiram rumo a Belém, onde desembarcaram no dia 19 de novembro de 1910.

Inicialmente, se integraram √† Primeira Igreja Batista do Par√°, localizada na Rua Jo√£o Balbi. Porém, sentiram a necessidade de tomar um novo rumo.

A Miss√£o

Desvinculado da Igreja Batista, o pequeno grupo pioneiro liderado pelos mission√°rios ficou sem lugar para reunir. Foi ent√£o que o casal Henrique e Celina Albuquerque ofereceu a ala de sua casa, na Rua Siqueira Mendes, para o in√≠cio de uma das maiores obras pentecostais do √ļltimo século.

E no domingo, 18 de junho de 1911, na sala do casal Albuquerque, surge uma nova igreja inicialmente chamada Miss√£o da Fé Apost√≥lica. Somente ap√≥s sete anos de sua funda√ß√£o foi denominada Assembleia de Deus.

O Templo

As reuni√Ķes na Rua Siqueira Mendes duraram cerca de tr√™s meses. Depois, para facilitar o acesso, a igreja mudou-se para a resid√™ncia de José Batista de Carvalho, na rua S√£o Jer√īnimo (atual Avenida Governador José Malcher).

Somente em 8 de novembro de 1914 os membros passaram a se reunir em seu primeiro templo livre, situado na Travessa Nove de Janeiro. Ali ficaram até 30 de outubro de 1926, quando o pastor Samuel Nystr√∂m transferiu a sede da igreja para a Travessa 14 de Mar√ßo, antigo n¬ļ 759. Nesse mesmo local, o pastor Firmino Gouveia inaugurou o atual Templo Central da Assembleia de Deus em Belém no dia 23 de abril de 1988.

Fé sem Fronteiras

Paralela √† obra desenvolvida em Belém, a igreja caminhava a passos largos para a sua expans√£o, com cultos p√ļblicos em v√°rios lugares, ora√ß√Ķes pelos enfermos e batismos com o Esp√≠rito Santo. A ilha do Maraj√≥, onde os mission√°rios estiveram apenas um m√™s ap√≥s o desembarque em Belém, transformou-se num dos mais ricos ber√ßos do Movimento Pentecostal Brasileiro.

Come√ßando pelos munic√≠pios arredores, o evangelho pentecostal espalhou-se por todo o Estado do Par√°. Assim, enquanto Gunnar Vingren cuidava da igreja em Belém, Daniel Berg e um grupo que se formava saiu espalhando a mensagem por lugares como Bragan√ßa, Vigia, Timboteua, S√£o Lu√≠s do Par√°, Capanema, Quatipuru, Bonito, Primavera e Tauari.

O crescimento fenomenal da Assembleia de Deus est√° ligado diretamente ao trabalho dos leigos. Desde o in√≠cio, a igreja valorizou o trabalho dos membros. Isso levou a mensagem pentecostal para os lares, pra√ßas e ruas. Fez a igreja entrar nas pris√Ķes, hospitais e prédios p√ļblicos. Cada fiel da igreja tornou-se um evangelista. N√£o demorou muito, e alguns desses homens e mulheres estavam cruzando as fronteiras do Par√°.

Os resultados deram à igreja pentecostal a dimensão que hoje vemos. O rápido crescimento exigiu novos líderes e norteou a expansão da nova igreja.

Comemora√ß√Ķes Inesquec√≠veis

A cada ano, a Assembleia de Deus em Belém, no Par√° e no Brasil comemora sua exist√™ncia com uma grande festa. Algumas festas foram marcantes, como o Jubileu de Ouro, em 1961, quando a igreja comemorou meio século de exist√™ncia. Na ocasi√£o, estiveram presentes o mission√°rio fundador Daniel Berg e o mission√°rio Ivar Vingren, filho do mission√°rio Gunnar Vingren, j√° falecido na época. A festa do Jubileu n√£o foi apenas local. Em diversas cidades brasileiras essa data hist√≥rica foi igualmente festejada. Nesse per√≠odo, os pentecostais brasileiros eram estimados em cerca de um milh√£o de pessoas.

J√° em 2001, a igreja celebrou seus 90 anos de bem sucedida hist√≥ria. As comemora√ß√Ķes oficiais come√ßaram com uma marcha (com aproximadamente 100 mil pessoas) pela cidade de Belém.